Pesquisar

Google
 

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Inhame

Rico em amido, beta-caroteno, vitaminas C e do complexo B. Contém, ainda, cálcio, fósforo e ferro. É recomendado na prevenção de doenças como dengue, malária e febre amarela. Estraga facilmente e

algumas variedades são tóxicas.

Sobre o Inhame

INHAME (COLOCASIA ESCULENTA)

“[O inhame] é citado em praticamente todos os livros sagrados e nos clássicos médicos de todos os tempos. Os antigos alquimistas sabiam dos poderes mágicos do inhame e utilizavam-no no preparo de diversos compostos medicinais. No Oriente sempre foi considerado um alimento remédio de grande efeito no organismo. Hoje é utilizado tanto como alimento quanto como remédio em todo o mundo; no Japão é conhecido como sato-imo, na África e na América do Norte chama-se taro, na América Central, ñame, na Índia albi, na França Igname, no Caribe malanga, no Brasil conhecem-se diversos e é confundido com o cará. O Inhame a que nos referimos é um tubérculo pequeno, de casca marrom-clara ou cinza, conhecido também como “inhame japonês” ou inhame da china”.

Entre suas propriedades medicinais está o poder desintoxicante e depurativo, ou seja, é capaz de eliminar toxinas do sangue e dos intestinos. Por isso é recomendado no tratamento de muitas doenças, principalmente o reumatismo em geral, a artrite, o ácido úrico, as inflamações em geral, em todas as infecções, viroses e micoses. Há até bem pouco tempo era utilizado o elixir de inhame no tratamento de sífilis, com bons resultados. Ele tem propriedade importante de restaurar e de manter o sistema imunológico saudável e resistente.

Na Índia, o sistema médico ayurvédico indica, há milênios, a ingestão em abundância de inhame cozido para refazer as defesas orgânicas, principalmente no combate a infecção e tumores. O sistema de medicina védica identifica a forma do inhame com gânglios linfáticos e entende, assim, existir um tropismo do inhame em relação ao sistema ganglionar linfático humano, que é a primeira linha de defesa do organismo contra agentes externos.

Entre os índios da América Central e do Sul, incluindo os índios brasileiros, persiste até hoje a tradição medicinal de se utilizar inhame como preventivo da malária, da febre amarela e todas as doenças endêmicas, infestações e parasitoses. Curiosamente, na África, os nativos tinham o mesmo hábito quanto ao inhame, que parece ser originário desse continente. Existe um fator ainda desconhecido deste tubérculo que uma vez presente no sangue humano, reage contra a presença de larvas e parasitos, ou potencializa as células de defesa a fazê-lo. Ainda hoje existe nas farmácias brasileiras um produto vegetal denominado “elixir de inhame”, muito recomendado contra o reumatismo e, doenças da pele, inflamações e infecções.

Coma Inhame

Hoje em dia, quando um tratamento não dá certo, os médicos mudam de remédio; antigamente mudavam de cozinheiro. Há muito tempo se sabe que a comida se transforma em sangue, e que esse sangue deve ser bom para nutrir todas as células do corpo, senão o corpo adoece. Por isso o grego Hipócrates, [considerado o pai da medicina] já dizia, há 2.500 anos atrás: “faz do alimento o teu medicamento”.

Um dos exemplos mais interessantes de alimento medicinal é o inhame. Marronzinho, (…) cabeludo por fora, mas clarinho e macio por dentro, é um dos tubérculos mais gostosos que a terra dá. E dá a toa no mato, cresce sem precisar de cuidados, dura muito tempo depois de colhido, combina com qualquer mistura de cardápio e pode ser preparado de mil maneiras saborosas (…) O inhame é uma fonte natural e barata de energia, com mais valor nutritivo do que o pão comum.

Mas, além disso, o inhame possui uma qualidade praticamente única entre alimentos: é um poderosíssimo depurativo do sangue, isto é, tem o poder de expulsar as impurezas que estão em circulação. A porta de saída geralmente é a pele, daí o fato de algumas pessoas terem coceiras ou erupções depois de comer inhame e acharem que fez mal; ao contrário, na verdade ele só bancou o lixeiro.

Usado dentro do corpo ele empurra os detritos para fora; usado do lado de fora ele puxa. Por exemplo, no caso de um furúnculo, que nada mais é que um acúmulo de impurezas que o corpo quer eliminar - basta aplicar um cataplasma de inhame que o pus sai rapidinho e o local desinflama. E o cataplasma (…) funciona também para puxar farpas, desencravar unhas, evitar infecções em ferimentos e desinfetar o buraco de dente arrancado, para limpar a pele de cravos e espinhas (…). Milagre? Não. Simplesmente recuso da natureza, conhecido pela medicina popular há milhares de anos.

O curioso é que o inhame dá exatamente onde é mais necessário: na África, no Brasil (…) e em muitos outros lugares onde o clima favorece a proliferação de mosquitos, (…). [Pois] comer inhame protege a população das doenças transmitidas por mosquitos, como a malária, a febre amarela e a dengue, entre outras. Tanto assim que aldeias inteiras foram destruídas pela malária, na África, quando os colonizadores brancos substituíram as roças de inhame por cultivos mais rendosos de borracha e cana-de-açúcar, e os nativos se viram privados de seu alimento protetor.

Mas não termina aí a louvação do inhame. No início do século, muito antes de descoberta da penicilina, popularizou-se o inhame como preventivo da sífilis. O raciocínio era claro: se o sangue estava limpo, a doença não vai ter como se instalar. Também há registros de muitos casos de pessoas leprosas, desenganadas, que se curaram comendo inhame cru. Daí terem surgido nessa época remédios à base de inhame , como o Elixir de Inhame Goulart, visando concentrar as propriedades terapêuticas de modo a facilitar a prevenção e a cura das doenças do sangue.

Taí um método bom e barato de ser mais brasileiro e preservar a saúde ao mesmo tempo: coma inhame. Afinal, se os nossos instintos adormecem, já está mais do que na hora de despertar.

Combate à TPM…

[Com] uma associação de magnésio, cálcio, vitamina B6 e - aí que está a grande novidade - inhame, cuja raiz é uma fonte natural de uma substância com ação a da progesterona. As taxas desse hormônio baixam nos dias que precedem a menstruação, e o inhame ajuda a restabelecer o equilíbrio, diminuindo a TPM e principalmente, a retenção de líquido, causadora de inchaço. O coquetel foi desenvolvido pelo médico orto-molecular Carlos Eugênio Ventura Lopes, de São Paulo, graduado pela American College Advanced in Medicine, nos Estados Unidos. “Essa associação também repõe a deficiência mineral e vitamínica, eliminando sintomas, como dores de cabeça e nos seios, náuseas, tensões, nervosismo e depressão” afirma. O tratamento é bem sucedido em 95 % dos casos.

Hormônio Vegetal contra a TPM

Irritabilidade, mau humor, dores e inchaço nos seios, depressão, gases prisão de ventre, dor de cabeça… A lista de sintomas é interminável. Estamos falando da TPM. Até pouco tempo atrás, milhares de mulheres eram acusadas de ter “chiliques”. Felizmente, hoje, eles - chefes, namorados e maridos - reconhecem as alterações físicas e emocionais provocadas pelos hormônios femininos.

A medicina já encontrou algumas soluções para esse problema. Algumas mulheres optaram pela suspensão da menstruação, com implantes de hormônios sintéticos. Para as que preferem soluções mais naturais, uma boa opção são os fitohormônios - substâncias extraídas de vegetais com a ação semelhante ao hormônio estrogênio, porém mais suave.

“A TPM surge porque na segunda metade do ciclo menstrual há excesso de estrogênio no organismo. O fitohormônio compete com o estrogênio, ocupando o lugar desse hormônio nas células. Como ele tem a ação mais branda, não provoca as mesmas alterações”, explica a nutróloga Regina Mestre (…)

(…) O período em que a mulher fica mais exposta à TPM é a partir dos 30 anos, quando começa a surgir um leve desequilíbrio entre a quantidade de progesterona e estrogênio. “O estrogênio começa a predominar ao longo do ciclo”, diz a Dra. Regina, completando que a dong quai é específica contra cólicas menstruais e excesso de fluxo.

Ela recomenda, ainda o uso do inhame selvagem mexicano e da soja para diminuir os sintomas da TPM. “O inhame selvagem pode ser usado em cápsulas ou em forma de gel transdérmico. Costumo receitar fitohormônios a partir do 12º dia do ciclo para não sobrecarregar o organismo”, explica. A soja é indicada “in natura” e manufatura (leite, carne) para mulheres acima de 30 anos, pois evita o excesso de estrogênio.

O INHAME LIMPA O SANGUE

É um dos alimentos medicinais mais eficientes que se conhece: faz muitas impurezas do sangue saírem através da pele, dos rins, dos intestinos. No começo do século já se usava elixir de inhame para tratar sífilis.

FORTALECE O SISTEMA IMUNOLÓGICO

Os médicos orientais recomendam comer inhame para fortificar os gânglios linfáticos, que são os postos avançados de defesa do sistema imunológico. Curioso que a forma do inhame seja tão semelhante à dos gânglios…

EVITA MALÁRIA, DENGUE, FEBRE AMARELA

A presença do inhame no sangue permite uma reação imediata à invasão do mosquito, neutralizando o agente causador da doença antes que ele se espalhe pelo corpo. Aldeias inteiras morreram de malária depois que as roças de inhame foram substituídas por outros plantios.

É MAIS PODEROSO QUE A BATATA

E tem a vantagem de ser nativo, enquanto a semente da batata é importada. Inhame dá com fartura em qualquer lugar úmido. Em vez de apodrecer na cesta, como a batata, ele brota e produz mais inhames. Nas mulheres aumenta a fertilidade porque contém fitoestrógenos, hormônios vegetais, importantes na menopausa e após.

MEDICINAL É O PEQUENO, CABELUDO

Marronzinho por fora, com a pele variando de roxo a branco. Existem ainda o inhame do norte e o cará, maiores e mais lisos, que são muito bons para comer mas não têm o mesmo poder curativo do inhaminho (também chamado de inhame chinês).

A FOLHA PARECE COM A TAIOBA

É da mesma família; ao contrário do que se pensa, a folha do inhame também serve para comer, cozida ou refogada. Às vezes pica muito, como a taioba.

EMPLASTRO DE INHAME PUXA TUDO:

furúnculos, quistos sebáceos, unhas encravadas, verrugas, espinhas insistentes, farpas ou cacos de vidro que entram nas mãos ou nos pés. Desinflama cicatrizes, elimina o sangue pisado de contusões, abcessos e tumores. Pode ser usado imediatamente após fraturas ou queimaduras para evitar inchaço e dor, e também em processos inflamatórios de hemorróidas, apendicites, artrites, reumatismos, sinusites, pleurisias, nevralgias, neurites, eczemas. Em caso de tumor no seio ou em outros lugares junto à pele é ótimo usar o emplastro de inhame durante uma semana antes de operar, pois ele vai aumentar esse tumor atraindo toda substância semelhante que houver no interior do corpo e evitar outros tumores. Serve ainda para baixar febres.

OS OUTROS NOMES DO INHAME

Em latim, infelizmente, é colocasia esculenta. Na África e na América do Norte se chama taro, na América Central é ñame ou otoe, na França é igname, na Índia albi, no Japão sato-imo, no Caribe malanga ou yautia. E cará, em inglês, é yam.

COMA E AME

O inhame cru é um poderoso antianêmico e mesmo cozido conserva muito de seu poder curativo. É um grande depurador do sangue, deve ser ingerido pelas pessoas que sofrem processos inflamatórios de qualquer espécie e todas aquelas que precisam beneficiar o sangue.

2 comentários:

vivian disse...

muito interessante, minha filha tem leucemia lla)e ha duas semanas ela começou a tomar suco de inhame com laranja e acerola uma amiga especial nos trouxe esta sendo um sucesso.

muvuca disse...

inhame um verdadeiro milagre da natureza, além de ser uma delicia ainda traz muitos beneficios para a nossa saude.